“O Incrível tecido que cura”

Um material que é incorporado nos tecidos de colchões, roupas ou palmilhas, alivia a dor e melhora a vários distúrbios como insônia subjetiva Ou!, Celulite, estimulando a circulação sanguínea, oxigenação do corpo, relaxamento muscular e a eliminação das substâncias prejudiciais.

Seu nome técnico é biocerâmica MIG3 e é uma substância ativa que consiste em óxido de magnésio, sílica, alumina e elementos cerâmicos que é incorporado em tecidos das roupas, palmilhas e capas de colchão, permitindo aumento da saúde e descanso.

Este composto inovador desenvolvido com tecnologia japonesa já está sendo testado e aplicado industrialmente no Brasil, que ao entrar em contato com o calor do corpo, produz um tipo de luz chamada infravermelho longo.

Esta luz infravermelha é detectada por receptores de calor e frio da pele, produzindo um chamado óxido nítrico (NO), que funciona como um mensageiro molecular no corpo e, neste caso, promove a dilatação dos vasos sanguíneos, aumentando circulação e promovendo o relaxamento de músculos na zona do corpo em contato com o MIG3, tal como indicado pelos seus inventores.

Os estudos clínicos de tecidos que incorporam esta biocerâmica, feito em universidades médicas no Brasil e no Japão, levaram à indicação terapêutica deste material no país sul-americano como tratamento de suporte para muitas doenças, alega a Invel (http://invel.iitp.org.br) a empresa que aplica o MIG3.

Aumento da circulação sanguínea, relaxamento muscular, a entrega de oxigênio aos tecidos corporais e remoção de substâncias orgânicas que causam dor, é o que fazem estes tecidos terapêutica com MIG3. Eles também ajudam a aliviar a dor lombar e muscular, prevenir a disfunção eréctil e para tratar dor das mãos, punhos e braços, de acordo Invel.

 

Melhoria da pele e aumento do bem-estar

 

Outras indicações terapêuticas do produto registradas no Ministério da Saúde são: o tratamento da lipodistrofia ginóide ou celulite, problemas de síndrome das pernas inquietas insônia, bem como dor, fadiga e inchaço das extremidades inferiores, como fontes da empresa EFE indicam.

A melhoria da aparência da pele e sensação de bem-estar e conforto são resultados de um efeito fotoquímico deste tecido, que devido ao calor da luz infravermelha promove a melhora da microcirculação, de acordo com Carla Taba, CEO da Invel.

Além de tecidos e vestuário, “podemos incorporar esta biocerâmica em vários materiais diferentes: Revela Taba a Efe.

“Temos um colchonete que é colocado sobre o colchão e é indicado para casos de Insônia Subjetiva. Ele é capaz de reduzir pela metade o tempo que leva para adormecer, após 4 semanas de uso”. Diz a executiva da sede da empresa em São Paulo (Brasil).

também acrescenta que está considerando incorporar o material a plásticos usados na produção de embalagens e pentes, e até mesmo poderia ser aplicado em géis ou cremes para cuidados da pele.

Isto é possível, porque, como explicou Taba, tem sido demonstrada através de estudos clínicos específicos, o MIG3 não é prejudicial para as células humanas.

Taba observa que existem vários produtos já registrados como elementos terapêuticos na Agência de Vigilância Sanitária do Brasil (ANVISA), como camisas que reduzem a dor crônica nas costas por uma média de 45 por cento.

Temos também as luvas para a dor crônica nas mãos, pulsos e braços, e alguns modelos indicados para dores musculares e inchaço dos pés e pernas, ambos capazes de reduzir as dores em mais de 50% “disse a CEO da Invel.

 

Catálogo de roupas terapêutica

 

Cuecas indicada para prevenir a disfunção eréctil, calças para reduzir a celulite grau II e III, e uma série de peças de vestuário, como meias, máscaras e blusas são outras peças de vestuário para uso terapêutico, todos suportados por estudos científicos em centros de pesquisa, como a UNIFESP e USP, em São Paulo ,assinala a executiva.

Taba também acredita que esta biocerâmica pode ser aplicado no interior dos tênis, sacos de dormir, em esteiras de ioga em chapéus ou em assentos de carros e aviões, uma vez que sempre que está em contato com o corpo humano promove a bioestimulação”, acrescenta.

Uma vez que não é tão invasivo, as indicações terapêuticas de produtos com MIG3 podem ser prescritos por profissionais do setor da saúde em geral, e em seus rótulos indicamos aos usuários para consultarem um médico caso eles sofram de algum quadro clínico que não fazia parte dos estudos científicos, enfatiza Carla Taba.

Sobre quantas horas por dia você tem que usar roupas com MIG3 ou usar tecidos com esse composto para um benefício de saúde ou bem-estar, a CEO da Invel responde:

Depende de cada produto. As etiquetas indicam um período mínimo de utilização para se conseguir um efeito terapêutico, de acordo com os ensaios clínicos em cada caso.

Este período mínimo é de 8 horas por dia durante 4 semanas para colchões; 8 horas diárias por 14 dias para camisetas para dor lombar crônica, luvas de dor mãos 8 horas todos os dias para os modelos; e 8 horas por dia, durante pelo menos 8 semanas para as calças Anticelulite.

fonte: www.efedata.com